segunda-feira, 28 de maio de 2012

Indústria Sustentável - Caso Natura


A Natura utiliza como diferencial a sustentabilidade desde a sua fundação, no ano de 1969, pelo uso de ativos naturais em alguns produtos. Logo em 1983, a empresa foi pioneira quando foram adotados refis para alguns produtos, fazendo com que fossem reduzidos os seus custos de fabricação em 30%.
Entre tantos projetos que a Natura adota, podemos destacar três exemplos (mitigar, compensação e a utilização da logística reversa para as suas embalagens) fazendo esta organização um exemplo de empresa sustentável.

Vejamos abaixo como funciona cada um destes três exemplos:
Mitigar: A Natura não planta arvores, pois ela busca mitigar o máximo possível.
Compensação: Utilização das consultoras para que elas possam retornar as embalagens que de seus clientes que iriam ser descartados em aterros sanitários e também os catálogos que são mais utilizados. Todos estes produtos são encaminhados para cooperativas que fazem o retorno para o fabricante.
Logística reversa: Processo de transformação de resíduo em embalagem. Com a utilização da logística reversa e a utilização de garrafas pets para confecção de embalagens de seus produtos.

No ano 2000, a Natura lançou a linha Ekos, na qual emprega matérias-primas da biodiversidade amazônica (muru-muru, cupuaçu, açaí, cacau, andiroba e castanha). A exploração sustentável da biodiversidade através de seu programa de provisão com cooperativas rurais constitui uma estratégia chave dentro de seu modelo de negócio. A Natura estabelece acordos de longo prazo com grupos de produtores que, depois de um processo de fortalecimento organizado e produtivo, se convertem em provedores de matérias-primas, a partir das quais a empresa desenvolve cosméticos e perfumes. As comunidades participam como sócios, sob esquemas que se baseiam em normas de comércio justo e desenvolvimento sustentável.

Este modelo, pioneiro na indústria, permitiu à Natura gerar um esquema: ganhar - ganhar com os produtores locais, ao assegurar o abastecimento constante dos insumos necessários para a produção dessa linha de negócio e ao assegurar-se de que estes se cultivam e coletam de uma forma ambiental e socialmente responsável. Além de matéria-prima, as comunidades compartilham com a Natura conhecimentos tradicionais sobre o uso dos produtos, que são incorporados ao processo de desenvolvimento dos cosméticos, pelos quais também recebem dividendos.

A "Associação Jaguari" do município de Baixo Moju é uma das organizações de base comunitária com as quais a Natura trabalha há anos. Esta começou com a participação de 29 famílias, no entanto, em curto tempo e graças aos benefícios obtidos, o grupo se estendeu até alcançar 60 famílias participantes. Os produtores comentaram que a aliança com a Natura lhes permitiu diversificar sua produção e obter várias colheitas, gerando poupanças e melhorando seus rendimentos.

Como um passo adicional na cadeia de valor, a Natura trabalhou processos de transformação de matérias-primas com algumas das cooperativas mais consolidadas. Para isso, investiu em equipamentos e infraestrutura, juntamente com os grupos de base, para instalar fábricas de extração de azeite. Este processo de agregação de valor permite às cooperativas obter maiores benefícios do programa de provisão, pois a Natura lhes paga um preço melhor por seu produto. Adicionalmente, desenvolvem novas habilidades e capacidades produtivas que geram mais empregos e desenvolvimento para sua região.

Neste sentido, Fundemex também teve a oportunidade de conhecer uma cooperativa chamada COFRUTA, que já está produzindo e vendendo óleos de várias sementes. Esta cooperativa, criada em 2002, conta com 140 sócios que se uniram para produzir polpa de várias frutas da região. A Natura se aproximou deles há alguns anos, já que estavam organizados e produzindo de maneira conjunta, encontrando condições propícias para uma aliança frutífera. A primeira produção de óleo realizou-se em 2011 e estima-se que para 2012 aumente substancialmente o volume de compra. Igual ao caso anterior, a Natura estabeleceu uma relação de longo prazo com COFRUTA, garantindo a compra de óleo por, pelo menos, dois anos.

Fontes: http://www.youtube.com/watch?v=dMMAlOaa6gghttp://brasil.nextbillion.net/blog/2012/05/18/valor-compartilhado-na-prtica-o-caso-natura

Grupo Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!!!

Postar um comentário